domingo, 12 de agosto de 2007

A casa do Sorôco, de verdade


" A gente se esfriou, se afundou - um instantâneo. A gente... E foi sem combinação, nem ninguém entendia o que se fizesse: todos, de uma vez, de dó do Sorôco, principiaram também a acompanhar aquele canto sem razão. E com as vozes tão altas! Todos caminhando, com ele, Sorôco, e canta que cantando, atrás dele, os mais detrás quase que corriam, ninguém deixasse de cantar. Foi o de não sair mais da memória. Foi um caso sem comparação.
A gente estava levando agora o Sorôco para a casa dele, de verdade. A gente, com ele, ia até aonde ia aquela cantiga."

João Guimarães Rosa. "Sorôco sua mae sua filha"

1 Comentários:

Blogger Camila Rodrigues disse...

teste

23 de janeiro de 2009 13:42  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial